Matéria da edição Nº115 - Setembro/2000
Texto: Tecnomotor
Foto: Arquivo
Sistemas de Imobilizadores - parte 1
Acompanhe atentamente as informações sobre sistemas imobilizadores utilizado pelos veículos das marcas Fiat, GM, VW e Ford

src=http://www.oficinabrasil.com.br/edicoes/Setembro_2000/Dica_tecnomotor.jpg

Acompanhe atentamente as informações sobre sistemas imobilizadores utilizado pelos veículos das marcas Fiat, GM, VW e Ford, publicadas nesta e nas próximas edições; no mês de novembro você vai receber um questionário, encartado no jornal, e aqueles que obtiverem 70% de acertos estarão recebendo um Certificado Tecnomotor. Participe e concorra ao sorteio de um Rasther

src=http://www.oficinabrasil.com.br/edicoes/Setembro_2000/Dica_Imobilizador.jpg

Sistemas de Imobilizadores - parte 1

O sistema imobilizador evita que o motor entre em funcionamento se o código secreto da chave de ignição não for reconhecido.

O sistema é composto por:
• Chave de ignição com transponder - O transponder é um circuito integrado que, quando energizado pela bobina/antena do comutador da chave de ignição, envia à bobina/antena um sinal de rádio com o código da chave. A chave deve ser energizada pela bobina/antena pois não possui pilha ou bateria interna.
• Bobina/antena - É um enrolamento de fio que na primeira fase, aoligar a chave, gera um campo magnético energizando a chave. Na segundafase funciona como antena captando o sinal do código emitido pela chave.
• Central do imobilizador - A central do imobilizador é uma centraleletrônica que aciona a bobina/antena, recebe o sinal de códigoda chave e estabelece comunicação com a central de injeçãoeletrônica.
• Central da injeção eletrônica (ECM) - Ao ligar a chave,a central da injeção libera o funcionamento do motor quando o códigoda chave for aceito.

IMOBILIZADOR FIAT
LÂMPADA PILOTO DO FIAT CODE - A lâmpada piloto do CODE está situada no quadro de instrumentos e é controlada pela central eletrônica do FIAT CODE. Colocando a chave de ignição em “MAR”, a lâmpada piloto pode indicar uma das seguintes condições:
ACESA cerca de 0,7 segundo e depois APAGADA: chave reconhecida, funcionamento correto do sistema.
PISCANDO: ambas as centrais eletrônicas, a de injeção e a do FIAT CODE, não possuem nenhum código memorizado (sistema virgem).
ACESA: O acendimento permanente da lâmpada piloto com a chave em “MAR” indica uma das seguintes anomalias:
• Chave não reconhecida pela central eletrônica do FIAT CODE
• Linha serial não conectada ou então problema de comunicaçãoentre as centrais eletrônicas de injeção e FIAT CODE
• Procedimento de memorização das chaves efetuado incorretamente.
ATENÇÃO: Falhas no sistema serão demonstradas pelo RASTHER.

PARTIDA DE EMERGÊNCIA ATRAVÉS DO RASTHER
O procedimento é ativado digitando, através do teclado do RASTHER, o código de 5 dígitos (ELETRONIC CODE) que se encontra no Code Card. É possível apenas uma partida de emergência. Colocando-se a chave em “STOP” após o procedimento de partida de emergência, a central eletrônica de injeção/ignição volta à condição de bloqueio do funcionamento do veículo.

PROCEDIMENTO PARA TESTE DA CENTRAL INJEÇÃO ELETRÔNICA (ECM)
O módulo de gerenciamento do motor só aceita uma codificação. Ao conectar-se uma nova central de injeção eletrônica (ECM), ocorre uma transferência automática de códigos entre centrais de injeção e do FIAT CODE, onde a central de injeção recebe um código, permanente e inapagável, que torna sua utilização “casada” e assim exclusivamente possível quando conectada à respectiva central do FIAT CODE.
PORTANTO, na execução de um teste onde seja necessária a substituição da central de injeção, desligar antes a central do FIAT CODE e somente após essa operação conectar a nova central de injeção. Caso seja comprovada a falha na central de injeção e se a substituição for confirmada, basta ligar a central do FIAT CODE. Não é necessária a operação de memorização das chaves.

PROCEDIMENTO PARA SUBSTITUIÇÃO DA CENTRAL ELETRÔNICA DO FIAT CODE
No sistema FIAT CODE o componente que define o código secreto é a chave mestra. Ao substituir uma central do imobilizador será necessário realizar a memorização das chaves existentes utilizando a chave mestra, através de procedimento específico.

IMOBILIZADOR VOLKSWAGEN
FUNCIONAMENTO: Ao ligar a chave a lâmpada do painel deve apagar (veículos importados não possuem lâmpada no painel). Se por algum motivo o código não for reconhecido, a lâmpada ficará acesa ou piscando.
Nesse sistema o módulo imobilizador já vem codificado, e as chaves e o módulo de injeção é que devem ser adaptados (programados).

PROCEDIMENTO DE MEMORIZAÇÃO DAS CHAVES
No sistema VW de imobilização, as programações de chaves ou do módulo de injeção do motor são realizadas via RASTHER. Há a necessidade da senha do imobilizador, que acompanha a chave original do veículo. Caso não se saiba este código, somente a concessionária poderá fornecê-lo.
Na adaptação de chaves após aparecer a mensagem “Inicie Adaptação”, o RASTHER não influenciará no processo, devendo ser seguidos os passos no manual de operação do TM 527 - MPI.

PROCEDIMENTO PARA SUBSTITUIÇÃO DA CENTRAL DE INJEÇÃO ELETRÔNICA (ECM)
O reparador deve efetuar eletronicamente a adaptação da nova central de injeção eletrônica. Com o RASTHER conectado ao veículo, acesse o sistema de imobilizador e escolha a função ADAPTAR MÓDULO. É necessário o uso da senha do imobilizador nesta operação. Não é necessário efetuar a memorização das chaves.

PROCEDIMENTO PARA SUBSTITUIÇÃO DA CENTRAL DO IMOBILIZADOR
É necessário, como primeiro passo, efetuar o procedimento de memorizaçãodas chaves e, em seguida, a adaptação da central de injeção.Se o sistema estiver bloqueado (ver leituras VW IMOB 1 e VW IMOB 3), deve-sedesconectar o RASTHER e aguardar pelo menos 35 minutos com a igniçãoligada. Um motivo de bloqueio do sistema é devido à digitaçãoerrada da senha durante a adaptação.

FUNÇÕES DO RASTHER
• Leituras
• Adaptação de chaves (máximo 8 chaves). A cada adaptaçãodas chaves, somente as chaves que participarem da adaptação é quepermitirão o funcionamento do motor.
• Adaptação de nova central de injeção (ECM)
• Leitura e apagamento de memória de códigos de defeito

Veja também

I Congresso das Empresas de Reparação de Veículos

A evolução das pistolas na repintura

Veja no Caderninho Sabó deste mês

Recuperação de empresas - como sair legalmente de uma crise - perguntas
Adiministração
Autorizadas avançam sobre espaço dos independentes

Manutenção no sistema de transmissão do Chevrolet Astra
Notícias relacionadas