Matéria da edição Nº150 - Agosto/2003
Texto: Pedro Luiz Scopino
Foto: Depto. de Documentação Técnica da Scopino Treinamentos
Técnica
Undercar: pivôs de suspensão – parte 5
De fácil verificação, os pivôs são componentes que podem comprometer o sistema de direção do veículo
Undercar: pivôs de suspensão – parte 5

De fácil verificação, os pivôs são componentes que podem
comprometer o sistema de direção do veículo

PivôCom toda a certeza, o reparador já se deparou com o seguinte problema: o cliente reclama de estalos quando arranca com o veículo, passa em lombadas e ao fazer manobras.
A resposta, após análise do sistema de suspensão dianteira, será, provavelmente, pivô de suspensão com folga.
Este importante componente do conjunto possui a função de articular o movimento das bandejas ou braços em relação ao conjunto mola e amortecedor, permitindo ainda o movimento do sistema de direção para ambos os lados.
Os pivôs são, na verdade, a evolução das antigas mangas de eixos, componentes formados por buchas e pino mestre. Este sistema está sujeito a folgas e grande necessidade de lubrificação, por isso, quase todos os veículos fabricados atualmente são equipados com pivôs.
A articulação esférica (denominação técnica do pivô, também conhecido como rótula) é formada pelos seguintes componentes:

Porca• Eixo cônico com rosca em forma esférica;
• Alojamento;
• Coifa de proteção;
• Bucha antidesgaste.

Os veículos podem ter um ou dois pivôs em cada roda dianteira, dependendo do sistema aplicado. Se é utilizado o conjunto MacPherson, por exemplo, temos apenas um pivô junto à bandeja ou ao braço inferior (Santana, Gol e Uno). Já em uma suspensão mais rígida e que suporta maiores pesos, teremos duas bandejas e dois pivôs, chamados de superior e inferior (Ranger e Chevette).
O pivô apresenta poucas surpresas na hora da manutenção.
Na maioria dos veículos, a peça pode ser substituída sem a troca das bandejas ou braços de suspensão, porém, em alguns carros o custo da manutenção deste componente é extremamente alto, pois a sua substituição é feita apenas com o braço ou a bandeja completos (Tipo e Towner).
SistemaA lubrificação é permanente na maioria dos veículos, porém, em alguns casos, o pivô deve ser engraxado periodicamente, conforme recomendação do manual do fabricante (Pajero).

Obs.: sempre que a coifa de proteção estiver rasgada, o pivô também deve ser substituído por causa da falta de lubrificação e contaminação.

DetalheO pivô é um componente de segurança no veículo e uma simples folga pode comprometer a dirigibilidade e estabilidade. Além disso, a roda do carro poderá assumir uma direção incontrolável caso esta peça quebre.
Sempre que é feita a substituição do componente é necessário fazer o alinhamento da geometria da direção.
Para verificar a folga é preciso tirar o peso do pivô. Isto se consegue com o auxílio de uma espátula e as rodas apoiadas. No caso de pivôs superiores, devemos tirar a força da mola, apoiando o veículo sob a bandeja inferior e utilizando também a espátula para verificar possíveis folgas.
O assunto da próxima edição será os tensores.
Pratique sempre a revisão preventiva.

Matéria elaborada pelo consultor técnico do Oficina Brasil, Pedro Luiz Scopino, proprietário da Auto Mecânica Scopino e instrutor-parceiro da Tecnomotor.

Veja também

Vote na enquete do Oficina Brasil

Eficiência do conversor de torque

Fras-le fecha o ano de 2007 com lucros
Transmissão automática
Transmissão automática controlada hidraulicamente - parte 6
Pesados
Um novo conceito para veículos pesados

Pesquisa revela opinião dos reparadores independentes sobre as montadoras nacionais