Matéria da edição Nº156 - Fevereiro/2004
Texto: Válter Ravagnani
Foto: Doutor-ie
Técnica
Sistema de injeção eletrônica IAW G7: linha Fiat monoponto
Conheça os principais detalhes do sistema Magneti Marelli que equipa os veículos Fiorino, Elba, Prêmio, Uno e Tempra
Sistema de injeção eletrônica IAW G7: linha Fiat monoponto

Conheça os principais detalhes do sistema Magneti Marelli que equipa
os veículos Fiorino, Elba, Prêmio, Uno e Tempra

Lançado a partir de 1993, o IAW G7 foi o primeiro sistema de injeção eletrônica digital instalado nos veículos nacionais da Fiat. Considerado um sistema de última geração, trouxe inovações como a ignição estática e o sensor de oxigênio.
É um sistema monoponto, ou seja, utiliza uma única válvula injetora que alimenta todos os cilindros.
No IAW G7 a massa do ar admitida é calculada pelo método da velocidade/densidade (Speed/Density).
Tem como principais sensores o da pressão no coletor de admissão - MAP, o sensor de temperatura da água CTS, o sensor de rotação ESS e o de temperatura do ar - ACT.
Entre os atuadores controlados pela UCE estão o atuador de marcha lenta (motor de passos) e a bomba elétrica de combustível.
Nesse sistema, o ventilador de arrefecimento ("ventoinha") é controlado por interruptor térmico ("cebolão").

Principais particularidades
IAW G7.11: Uma das variações do IAW G7, o IAW G7.11, não possui sensor de posição da borboleta nem atuador de marcha lenta (motor de passos). Nesse sistema, o controle de marcha lenta é feito por meio de duas eletro válvulas, controladas pela UCE, e uma cápsula amortecedora do retardo da borboleta - cápsula dash pot (vide dicas 1 e 2).

A sensibilidade a interferência eletromagnética na UCE: No dia-a-dia, observa-se que os veículos que utilizam o sistema IAW G7 são extremamente suscetíveis a interferência eletromagnética (figura 1). Essa interferência é normalmente provocada por componentes do sistema de alta tensão, principalmente por bobinas e velas de ignição comuns. Quando ocorre esse tipo de interferência, os principais sintomas observados são:
• Marcha lenta instável
• Motor falhando em baixa rotação
• Com o motor funcionando, o equipamento scanner não estabelece comunicação com a UCE - acusa erro de comunicação.

Dica 1 - Ligação das mangueiras dos sistema de controle da marcha lenta (IAW G7.11 - Uno EP e Uno IE)

Detalhes

• Nos veículos Fiat Uno EP, a marcha lenta é controlada por duas eletro válvulas e uma cápsula pneumática;
• As eletro-válvulas são controladas pela UCE. Além disso, a eletro válvula 2 é alimentada por um relê específico;
• A figura 2 ilustra o esquema de ligação das mangueiras das eletro válvulas.

Comentário

• Com o sistema de controle da marcha lenta funcionando em perfeitas condições, o comportamento da cápsula pneumática deve ser o seguinte:
• Com o motor frio a cápsula deve encostar no came do acelerador, empurrando-o no sentido de aceleração do veículo;
• Com o motor aquecido, a cápsula não deve encostar no came do acelerador.

Dica 2: Regulagem da marcha lenta - IAW G7.11 (Uno EP e Uno IE)

• Antes de iniciar a regulagem da marcha lenta, verifique:
• A correta ligação das mangueiras do sistema de controle da marcha lenta (vide dica 1);
• A integridade da cápsula Dash-pot. O diafragma da cápsula não deve estar furado;
• O funcionamento do motor. O motor deve estar funcionando perfeitamente. O corpo de borboleta deve estar limpo. Não devem existir códigos de defeitos gravados na UCE nem entradas falsas de ar no coletor de admissão.

Procedimento

• Para monitorar o valor da marcha lenta do motor, conecte um equipamento do tipo scanner ao veículo;
• Dê partida no motor. Com o motor frio, a haste da cápsula Dash-pot deve empurrar o batente do mecanismo da borboleta de aceleração (figura 3);
• Desligue a mangueira do Dash-pot. Com a mangueira solta a marcha lenta deve ficar entre 2100 e 2500 rpm. Se for preciso, solte a porca do Dash-pot e efetue sua regulagem (figura 3);
• Refaça a ligação da mangueira do Dash-pot;
• Deixe o motor aquecer até que seja acionada a ventoinha. Em temperatura operacional, a haste da cápsula Dash-pot deve ficar distante do batente não deve encostar (figura 3);
• Com o motor aquecido, a marcha lenta deve estar entre 850 e 950 rpm. Se for preciso, regule a rotação de marcha lenta por meio do parafuso do interruptor da marcha-lenta (figura 3).

Veja também

Rede de oficinas Ecocar oferece programa ecologicamente correto

MTE realiza curso voltado para balconistas
Tecnologia
Motor inteligente a serviço do homem
Agenda do Reparador
Vendendo o serviço preventivo: saiba como utilizar o Check-List gratuito do programa

Bomba Injetora Zexel (Bosch Japonesa) com controle eletrônico - parte 2
Zero Km
O Renault Clio mudou, mas nem tanto