Matéria da edição Nº157 - Março/2004
Texto: Válter Ravagnani
Foto: Doutor -ie
Técnica
Sistemas de injeção eletrônica Digifant 1.74 e 1.82: Golf 2.0 e 1.8 (97 a 98)
Nesta edição, conheceremos os principais detalhes dos sistemas Digifant 1.74 e Digifant 1.82
Sistemas de injeção eletrônica Digifant 1.74 e Digifant 1.82
Golf 1.8 (97 a 98) e Golf 2.0 (97 a 98)
Nessa edição conheceremos os principais detalhes dos sistemas Digifant 1.74 e Digifant 1.82
 

Descrição geral

Os sistemas de injeção eletrônica digifant 1.74 e digifant 1.82 equipam, respectivamente, os veículos golf 2.0 e golf 1.8 fabricados entre 1997 e 1998.
São sistemas multiponto, ou seja, utilizam uma válvula injetora para cada cilindro.
No digifant a massa do ar admitido é calculada pelo método da velocidade densidade (Speed/Density).
Tem como principais sensores o sensor da pressão no coletor de admissão - MAP, o sensor de temperatura da água CTS, o sensor de rotação e o de temperatura do ar - ACT.
Entre os atuadores controlados pela UCE estão o atuador de marcha-lenta (motor de corrente contínua) e a bomba elétrica de combustível.
Nesse sistema, o ventilador de arrefecimento ("ventoinha") é controlado por interruptor térmico ("cebolão").

Particularidades

• Sensor MAP interno a UCE: No digifant o sensor da pressão absoluta do coletor de admissão fica dentro da UCE (figura 1).

• Ausência do clipe para regulagem do ponto de ignição-“shorting plug”: Os veículos Volkswagen Golf 1.8 e 2.0, equipados com os sistemas de injeção eletrônica digifant 1.74 e 1.82, necessitam de conferência periódica do ponto inicial de ignição.
Porém não possuem o clipe para desativar o avanço de ignição - “shorting plug”. Por isso, para que seja possível tal conferência, é necessária a utilização de um equipamento scanner (vide dicas 1 e 2).

Dica 1 - Golf 1.8 e 2.0 (digifant):Regulagem do ponto de ignição com equipamento Scanner

Procedimento

• Dê partida no motor;
• Deixe o motor aquecer até que seja desligada a “ventoinha” pelasegunda vez;
• Conecte um equipamento tipo “scanner" ao conector de diagnóstico do sistema de injeção;
• Com o motor em marcha-lenta, selecione o “scanner” na função “ajuste básico” ou “regulação” (essa denominação varia de equipamento para equipamento);
• Com o “scanner” devidamente selecionado, acelere o motor entre 2.000 e 2.500 RPM. Note que quando o motor é acelerado, o ponto de ignição deixa de oscilar (fica “travado”);
• Mantendo o motor na rotação indicada, selecione uma lâmpada estroboscópica (com avanço) em 6º APMS. Direcione-a para o volante do motor e regule o ponto de ignição (girando o distribuidor). Com a lâmpada estroboscópica selecionada em 6º APMS, a marca de 0º existente no volante do motor deve alinhar-se com a referência fixa (figura 2):
• Se necessário, ajuste o ponto de ignição;
• Desconecte o “scanner”;
• Desligue o motor;
• Feito isso, a UCE volta a operar normalmente - o avanço de ignição volta a operar

Dica 2 - Golf 1.8 e 2.0 (digifant): Regulagem do ponto de ignição sem equipamento Scanner

Outros detalhes

• O fato do ângulo de avanço de ignição oscilar em regime de marcha-lenta, impossibilita o ajuste do ponto de ignição sem que seja desabilitado, ”travado”, o controle do avanço (via “scanner”);
• Porém, em rotações superiores a de marcha-lenta, o avanço fica estável, tornando possível a regulagem do ponto sem a utilização de “scanner”;
:: Com o veículo parado, sem carga, para cada rotação do motor existe um ponto de ignição recomendado (figura 3).

Procedimento

Para efetuar o ajuste do ponto de ignição, sem a utilização de “scanner”, proceda conforme está descrito a seguir:
• Dê partida no motor;
• Deixe o motor aquecer até que seja desligada a “ventoinha” pelasegunda vez;
• Acelere o motor a aproximadamente 2.500 RPM;
• Mantendo o motor na rotação indicada, selecione uma lâmpada estroboscópica (com avanço) em 26º APMS. A marca de 0º APMS existente no volante do motor deve alinhar-se com a referência fixa (figura 2);
• Se necessário, ajuste o ponto de ignição;
• Desligue o motor.

Comentário

Regular o ponto de ignição conforme acabamos de descrever (26º APMS a 2.500 RPM - sem desligar o avanço), é perfeitamente correspondente a regulagem descrita no procedimento da dica 1 (6º APMS a 2.000 RPM - com o avanço desligado via “scanner”).

Veja também

Osram desenvolve nova lâmpada
Competição
Stock Car e TC 2000. Uma mistura fina
Artigo
A oficina deve oferecer no mínimo o que o cliente espera dela

Autonor: 10 anos e recorde de público
Negócios
Exigência da reparação desafia o profissional

A metamorfose da borboleta