Matéria da edição Nº97 - Março/1999
Texto: CDTM
Foto: CDTM
Multímetro automotivo - parte 1
Aprenda como utilizar um multímetro automotivo, pois com esse conhecimento e um manual Mecânica 2000 você vai consertar seu primeiro carro com injeção eletrônica

A moderna tecnologia utilizada nos veículos atuais introduzem procedimentos de manutenção diferenciados cada vez mais distante do convencional. Os sistemas eletrônicos invadem todos os espaços que eram ocupados por complicados aparatos mecânicos. Entre eles estão a maioria dos dispositivos de medida e controle.

Para um correto diagnóstico, os mecânicos necessitam lançar mãos aos equipamentos que permitem traduzir em informações simples, o complexo mundo da eletrônica. O multímetro automotivo é um equipamento de diagnóstico extremamente útil nas oficinas atuais, principalmente após o surgimento do sistema de injeção eletrônica.

Nele, o técnico em manutenção automotiva pode realizar diversas verificações dos componentes do sistema de injeção (sensores e atuadores). Entre essas verificações podemos citar as mais comuns, que são: teste de resistência interna dos elementos, teste de tensão de alimentação e medida de corrente elétrica.

Entre as medidas automotivas, citamos: tempo de injeção, RPM, freqüência, temperatura e ângulo de permanência, além de outras.

Para sua utilização o técnico deve possuir, além do conhecimento do que se irá diagnosticar, ou seja, o tipo de leitura a ser realizada, também o conhecimento de como utilizá-lo devidamente, extraindo do equipamento o maior número de dados possíveis, de forma a permitir uma análise correta dos mecanismos.

Visor
Nele são indicados todas as informações sobre: o tipo de leitura a ser realizada, escala escolhida, informações auxiliares e um gráfico de barras que permite perceber mais facilmente a variação das medidas.

Teclas
Estão divididas em três grupos distintos: o primeiro grupo é formado pelas teclas comuns POWER e LIGHT, o segundo grupo é composto pelas teclas de seleção DC/AC e RANGE e o terceiro, pelas teclas auxiliares AVG, DREL e HOLD. A tecla °C/°F pode pertencer tanto ao segundo ou ao terceiro grupo dependendo apenas da leitura a ser realizadas.

Chave seletora
É utilizada apenas para a selecionar a operação a ser realizada. Desta forma indica sempre uma operação distinta de cada vez.

Terminais
É através deles que as pontas de prova são conectadas. Os dois terminais vermelhos da esquerda são utilizados, exclusivamente, para leituras de corrente. O terminal preto é o terra. O terminal vermelho, da direita, é o positivo de todas as leituras, exceto as leituras de corrente.

Veja também
Informativo Osram
O que quer dizer a informação 3200 K, 4000 K, 6000 K, 8000 K, 10000 K, 12000 K
Lançamento
Voyage de volta

Brava 1.6 16V: bom de oficina

Outras matérias desta edição

O que quer dizer a informação 3.200K, 4.000K, 6.000K, 8.000K. 10.000K, 12.000K

Nova versão do sistema Audatex chega ao Brasil
Notícias relacionadas