Matéria da edição Nº132 - Fevereiro/2002
Texto: Pedro Luiz Scopino
Técnico
Sistema IE utilizado na linha Palio - 2001 em diante
Nesta e na próxima edição vamos conhecer os sistemas de injeção eletrônica que a Fiat está empregando nos veículos com motor FIRE.

Detalhes

Nesta e na próxima edição vamos conhecer os sistemas de injeção eletrônica
que a Fiat está empregando nos veículos com motor FIRE.

Com base nas novidades mostradas na matéria sobre o Fire da edição passada, onde foram apresentadas as principais novidades trazidas por esses motores e a grande possibilidade de que um desses veículos em breve apareça nas oficinas de reparação independente, vamos abordar a injeção eletrônica aplicada nos modelos Palio, Siena, Weekend e Strada com sistemas Marelli e Bosch, dividindo essas informações em duas etapas.
Os sistemas de injeção eletrônica mencionados no quadro abaixo possuem algumas semelhanças, porém as pequenas - e importantes - diferenças entre os sistemas fabricados pela Bosch ou Magnetti Marelli serão apresentados separadamente.
Nesta edição apresentamos o sistema IAW-59 FB que equipa os veículos Palio e Uno Mille com motor 1.0 8 válvulas.
Para entrar em um mercado altamente competitivo a Fiat equipou alguns de seus veículos de preços mais baixos com o motor Fire de mil cilindradas, 8 Válvulas com potência de 55 cv.
A injeção eletrônica que equipa este motor é fabricada pela Magnetti Marelli.

OConheça alguns componentes e detalhes:
• Unidade de Injeção eletrônica micro-híbrida - localizada no compartimento do motor;
• Sistema multiponto e Speed X Density - (massa de ar admitida calculada através da medição da rotação do motor e densidade do ar);
• Sensor de posição de borboleta;
• Atuador de marcha lenta (motor de passo incorporado ao corpo de borboleta);
• Injeção seqüencial;
• Ignição Mapeada Estática com bobina de quatro torres;
• Ausência de sensor de Fase (feita através de software);
• Corpo de borboleta com acionamento através de cabo;
• Sensor de pressão MAP com sensor de temperatura do ar integrado e fixo no coletor de admissão;
• Interruptor inercial de combustível localizado próximo ao pedal de embreagem - em caso de colisão ou forte impacto, o circuito de alimentação da bomba elétrica é desativado;
• Bomba elétrica de combustível com regulador de pressão integrados no interior do tanque;
• Pressão de trabalho = 3.5 bar;
• Sensor de Rotação Indutivo localizado na polia dianteira do motor;
• Sensor de Temperatura da Água do Motor com acionamento do eletroventilador do radiador pela ECU- Injeção;
Neste sistema, o Power Latch é de 30 segundos, período em que o sistema de injeção memoriza as falhas, erros e condições de funcionamento na memória RAM, a partir de diversos sensores que continuam energizados após a ignição ser desligada.
O sistema IAW 59FB pode estar em comunicação com a rede de informações V.E.N.I.C.E. - Rede CAN - presente na maioria dos veículos da linha Fiat produzidos a partir de 2001.
Na próxima edição, detalhes do sistema de injeção Bosch Me 7.3 H4 da família Palio Fire 1.0 16V e 1.3 16V.

Aplicação de Sistemas I.E. - Palio 2001
MotorSistemaFabricanteCombustível
1.0 8V FIREIAW-59FBMagnetti Marelli Gasolina
1.0 16V FIREMe 7.3 H4BoschGasolina
1.3 16V FIREMe 7.3 H4BoschGasolina
1.6 16V StepAIAW 49 FBMagnetti Marelli Gasolina

Esta matéria foi elaborada por Pedro Luiz Scopino, proprietário da Auto Mecânica Scopino e Scopino Treinamentos e instrutor parceiro da Tecnomotor. Informações sobre cursos: (11) 3857-2685 com Thiago

 
Veja também
Mercado
Degussa lança repelente de água para pára-brisas

Veja no Caderninho Sabó deste mês:

Curso Oficina Brasil - IQA: 5º capítulo: Materiais
Técnico
Sistema de ignição com duas velas por cilindro
Técnica
Bomba de combustível – Sistema ‘in-tank’

CINAU revela imagem das montadoras